Gêneros Literários #1: Silkpunk

Há alguns anos, listei uma série de gêneros e subgêneros literários dos mais variados tipos, tanto os já conhecidos romance, novela e conto quanto os mais desconhecidos, em especial os de literatura fantástica. Isso acabou me ajudando bastante na concepção de minha escrita, sobretudo Colisão. Em geral, eu não sou uma pessoa apaixonada pela ficção científica, mas acabo mesclando elementos FC (ou scifi) em algumas histórias onde a fantasia predomina. Ao pesquisar mais, acabei descobrindo gêneros "híbridos" e obras as quais me despertaram muito a atenção, muitos ainda pouco conhecidos no Brasil.

Pensando nisso, e de maneira a compartilhar com quem queira conhecer (e explorar) novos caminhos ou já antigos, mas pouco divulgados, vou iniciar uma longa série de postagens sobre cada gênero possível, adaptando informações retiradas de sites e blogs, além de listar obras literárias e filmes que se aproximem dos conceitos.

Espero que se divirtam e ampliem seus conhecimentos, assim como me divertiu descobri-los e conhecê-los.


Para começar a jornada, apresento o silkpunk, termo cunhado pelo escritor Ken Liu (autor de The Grace of Kings) para classificar suas histórias. Segundo ele, "como steampunk, silkpunk é uma mistura de ficção científica e fantasia. Mas enquanto steampunk toma como sua inspiração a estética de tecnologia cromo-latão-vidro da era vitoriana, silkpunk inspira-se da antiguidade clássica do Leste Asiático".

Como exemplo, cita que seu "romance está cheio de tecnologias como pipas de batalha que levantam duelistas no ar, dirigíveis de bambu e seda impulsionados por gigantes ramos emplumados, barcos subaquáticos que nadam como baleias impulsionadas por máquinas de vapor primitivas e máquinas de escavação de túnel reforçadas com conhecimento de ervas", assim como também há "elementos de fantasia, como os deuses que brigam e manipulam, livros mágicos que nos dizem o que está em nossos corações, animais gigantes da água que trazem tempestades e guiam marinheiros com segurança para as costas e ilusionistas que manipulam a fumaça para perscrutar as mentes dos adversários".

"O vocabulário de tecnologia silkpunk é baseado em materiais orgânicos historicamente importantes para o Leste da Ásia (bambu, papel, seda) e culturas marítimas do Pacífico (coco, penas, coral), e a gramática de tecnologia segue princípios biomecânicos como as invenções em Romance dos Três Reinos", atribuído a Luo Guanzhong, é um romance histórico do século XIV, ambientado nos anos turbulentos no final da dinastia Han e o período dos Três Reinos da história chinesa, começando em 169 e terminando com a reunificação da terra em 280. "A estética global é de maleabilidade e flexibilidade, expressiva das culturas que habitam as ilhas." [Fonte, em inglês]

Além dos romances de Ken Liu, posso citar os de  J.Y. Yang, cujas capas já apareceram por aqui.

De filme, me vem à mente The Great Wall, de 2017, e League of Gods, de 2016, ambos com histórias situadas na China (o segundo numa China mítica), com vários elementos de fantasia e tecnologias primitivas em recursos, mas avançadas em complexidade.

0 comentários:

Postar um comentário