Gêneros Literários #7: Clockpunk

O gênero steampunk (que ainda vou apresentar, embora eu ache que muitos já o conheçam bastante) possui "parentes" próximos bem interessantes, alguns mais no campo fantástico do que o outro. Se no stonepunk a tecnologia é primitiva, pré-histórica, e no silkpunk se baseia em elementos orientais, por que não pode haver um gênero inspirado na ciência e tecnologia da era renascentista?

Imagem promocional do jogo Resonance of Fate, conhecido no Japão como End of Eternity
"Semelhante e talvez derivado do steampunk", o clockpunk envolve "mecanismos de relógio mecânico artístico. Este estilo de ficção especulativa parece ter surgido na esteira do steampunk (como um fenômeno reconhecido, pelo menos, pode-se encontrar um bom número de velhas ficções clockpunk)."

"Nas histórias clockpunk, engrenagens e máquinas simples predominam", podendo ser apresentadas "tanto em máquinas pesadas" quanto em "dispositivos portáteis. O estilo visual baseia-se nas eras renascentista e barroca, de modo que os mecanismos serão tipicamente decorados com decorações intrincadas e esculturas, fazendo algumas máquinas de aparência muito bonita."

Por ser uma "tecnologia básica" que "antecede o vapor, os dispositivos precisam de outra fonte de energia. Os moinhos de vento ou de água podem caber, mas as máquinas clockpunk podem literalmente ter que ser enroladas com uma chave. As audiências sensíveis à ciência podem observar que a quantidade de energia armazenada em um dispositivo clockpunk muitas vezes parece muito maior do que a quantidade de energia necessária para rebobiná-lo. Dado esses problemas práticos", alguns escritores "podem recorrer a fontes de energia mais fantásticas, como pólvora" ou magia e alquimia, o que "se encaixa muito bem no estilo renascentista/barroco do gênero", pois  "era a última era da história europeia quando cientistas sérios poderiam estudar tais coisas sem perder toda a credibilidade". [Fonte, em inglês]

Não é incomum ao clockpunk misturar elementos e tecnologia renascentistas e barrocos com fantasia. A presença de criaturas mecânicas é recorrente.

Além do jogo Resonance of Fate, podemos incluir, como obras do gênero, a franquia de filmes Hellboy (no primeiro, um zumbi nazista é movido por um mecanismo de corda, e no segundo, o Exército Dourado é formado por soldados cheios de engrenagens), o filme de terror Cronos e o de fantasia El laberinto del fauno, todos de Guillermo del Toro.

O livro The Invention of Hugo Cabret, de Brian Selznick, e o filme inspirado, Hugo, de 2011, além do filme The Three Musketeers, de 2011, podem ser outros bons exemplos. Para quem quer ouvir uma boa música, a banda Rush, no álbum Clockwork Angels, traz referências clockpunk (e há um livro baseado neste álbum).

Como o gênero se inspira bastante nas invenções de Leonardo da Vinci, posso concluir as sugestões com a série Da Vinci's Demons.