27 de abril de 2017

Resenha #7: Lagoena: O Portal dos Desejos [Laísa Couto]

Ano: 2014
Páginas: 272
Editora: Draco

SINOPSE: Rheita é órfã de mãe e a única neta de um joalheiro falido. Por mais que seu avô tente, os esforços para isolar essa garota de 10 anos do mundo e esconder sua verdadeira identidade são inúteis.

Inteligente e esperta, a curiosidade da garota leva-a a uma descoberta no antigo quarto da mãe. Encontra a metade de um mapa mágico, mas qual seria a relação disso com o desaparecimento de seu pai?

Quando Kiel, o filho gago do sapateiro, faz revelações incríveis a Rheita, juntos partem para uma aventura repleta de segredos ainda maiores, rumo a um outro mundo, Lagoena, a Terra Secreta que corre grande risco de não mais existir.

A menina deverá salvar esse lugar mágico, protegendo o tesouro do mapa da cobiça de um imperador amaldiçoado, enquanto segue o maior desejo de seu coração: encontrar o pai que nunca conheceu.

Lagoena: O Portal dos Desejos é o romance de estreia de Laísa Couto, autora que resgata a magia dos contos de fada em uma história emocionante e envolvente. Quando a verdade da sua vida lhe foi negada, fugir para um mundo fantástico pode ser a única salvação.


A obra já não se encontra mais no catálogo da editora, mas a autora não descarta a possibilidade de publicá-la de maneira independente algum dia. A resenha a seguir, portanto, tomará como base o texto editado e publicado em 2014, que é uma versão, a meu ver, com alguns pequenos problemas.

A fantasia tem um poder incrível. E eu tenho um fascínio pelo tipo de fantasia que Laísa se propôs a contar em seu livro de estreia, pois é algo com um gostinho de infância, com um tom de descoberta, uma jornada por terras desconhecidas, mas ainda assim tão familiares, pois, talvez, lá no inconsciente, a gente visite lugares assim quando dormimos.

O fato é que Lagoena: O Portal dos Desejos é um romance muito bom, e a autora consegue nos envolver sutilmente e, quando nos damos conta, estamos andando com Rheita e Kiel pela Terra Secreta, torcendo por eles, sofrendo por/com eles e nos divertindo com eles. A história ser toda sob o ponto de vista dos dois protagonistas (duas crianças espertíssimas e corajosas) pode incomodar alguns, mas pode ser agradável a outros. Eu simplesmente adorei a forma como foi narrada toda a aventura, apesar de me sentir incomodado com a total despreocupação de ambos para com as pessoas que deixaram para trás.

Os personagens que a dupla encontra no caminho são carismáticos e variados, e eu lamentei quando alguns deles cumpriram seu papel na jornada dos dois e não apareceram mais. Os lugares são fantásticos, e o mapa que acompanha o livro realmente é um item funcional e agregado harmoniosamente à trama, e não apenas um fetiche de autor de fantasia. O simbolismo que Laísa emprega em O Portal dos Desejos é riquíssimo, soa natural, mesmo quando criaturas de nosso folclore intercalam as de outras culturas.

Os pequenos problemas, contudo, consistem na edição, que cortou trechos para acelerar eventos, focando em mais ação e menos introspecção, sobretudo nos capítulos finais, quando parte da emoção de fim de prazo para salvar Lagoena e a busca pelas últimas chaves douradas simplesmente não existe. Acaba não empolgando tanto, pois o espaço de um acontecimento pro outro é brevíssimo. Contudo, ainda que haja pressa e foco na ação, Laísa mantém firmeza no desfecho dos antagonistas, não nos poupando de um pouco de horror.

E terminamos o romance com um nó na garganta, assim como Rheita, e eu dizer mais do que isso é spoiler.

É uma história que recomendo de olhos fechados por ser boa, mas não leia se você deixou sua criança interior morrer. E que a próxima edição possa trazer os trechos cortados pela editora, pois certamente eles fizeram falta e poderiam enriquecer ainda mais as aventuras de Rheita e Kiel pela Terra Secreta.

NOTA: 8,9

0 comentários:

Postar um comentário