10 de maio de 2017

Meus Escritos #4: Paracosmos

Eu trabalho muito com a sentença "E se..." quando estou envolvido em alguma ideia ou projeto. E isso acaba ramificando algumas histórias: Mundos em Conflito, por exemplo, é um desses "E se..." que A Guerra dos Criativos trouxe. "E se os Criativos começassem a ser caçados, um a um, por um inimigo sedento por vingança, na Terra, como eles conseguiriam sobreviver sem poder criar?" Outro desse "E se..." permitiu o surgimento de um projeto, no mínimo polêmico.

Angel vs Demon by Siito16
Paracosmos é uma fusão de "E se os Criativos existissem em nosso mundo?" com referências a casos reais de crianças e adolescentes com desvios de conduta, muitas delas homicidas cruéis, psicopatia, depressão, transtornos emocionais, abusos infantis, teorias conspiratórias, amigos imaginários e sociedades secretas. Expliquei detalhadamente sobre os paracósmicos recentemente, então não irei me repetir.

Diante de um plot envolvendo crianças e adolescentes traumatizados e, não raramente, com potencial homicida em mãos, eu precisei me munir de material para não cometer absurdos além do que a licença poética permite. Reuni livros e revistas sobre psicopatia, li casos documentados de crianças e adolescentes extremamente violentos, assisti a filmes sobre pessoas com poderes paranormais que se encaixavam no que eu tinha em mente (Scanners, de 1981, e Village of the Damned, versão de 1995, são principais referências), li sobre dons extrassensoriais (tenho um livro antigo de um autor alemão que é leitura quase obrigatória para mim), além de tudo o que já havia usado para expandir o conceito de artemagia.

O primeiro conto, Esclera, nem seria parte da realidade dos paracósmicos, mas vi ali uma brecha para apresentá-los indiretamente e explorar levemente um conceito que, se tudo correr bem, irá sustentar um romance ou dois. As histórias seguintes, quase todas focam nas diversas possibilidades que os dons dos paracósmicos permitem: agentes de uma organização secreta que elimina ameaças, justiceiros e vingadores, domadores e imitadores de animais, assassinos em série, portais para criaturas sobrenaturais...

Transitando entre a ficção científica e a fantasia, as tramas apresentam não apenas situações envolvendo jovens com poderes sobrenaturais, que podem materializar criaturas e possuem amigos imaginários não tão inocentes; há questões delicadas: abuso sexual, violência doméstica, abandono, depressão, suicídio, justiça, vingança, noções de certo e errado, ética...

Embora protagonizadas por jovens menores de 18 anos em sua maioria, as histórias são quase sempre sombrias e violentas, algo que sempre tive em mente desde o início do projeto.


HISTÓRIAS PUBLICADAS


6 comentários:

  1. Isso me lembrou um vídeo que assisti mais ou menos recentemente que fala de crianças que tinham amigos imaginários "malvados".
    E me lembra também que preciso ler mais coisas suas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você acha fácil na Internet material sobre o assunto, para todos os gostos e teorias. HAHAHA

      E alguns casos documentados e mais confiáveis costumam relatar adolescentes e crianças com comportamento violento tendo sempre uma entidade imaginária incitando os crimes. É bem louco!

      E não se esquenta quanto a ler minhas coisas. :)

      Excluir
    2. Verdade, eu sigo alguns youtubers que falam sobre o sobrenatural (porque trabalhando é mais fácil ouvir e ler depois), e uma delas postou um vídeo comentando essas experiências mais ou menos recentemente, acho que todas eram com crianças. Acho que por elas ainda terem a porta da imaginação mais aberta que a da maioria.

      E eu não esquento, mas tenho curiosidades. :)

      Excluir
    3. Uma vez li algo assim, mas sob a visão de uma sensitiva, que disse que crianças são mais propícias a enxergar o sobrenatural.

      Tudo isso acabou moldando minhas crianças bizarras. :P

      Excluir
    4. Também já ouvi falar, mas acho que era mais sobre elas se lembrarem mais facilmente de vidas passadas, se não me engano. Não acredito muito na maioria das coisas sobrenaturais, mas ainda acho interessantíssimo ler e ouvir quem acredita.

      Excluir
    5. Aham, e espíritos tb, no caso.

      Tb não sou muito de acreditar, mas tudo é material de inspiração. :3

      Excluir