4 de setembro de 2017

Gêneros Literários #16: New Weird

Retornando à série de postagens sobre gêneros literários, hoje apresento um gênero que está intimamente relacionado à weird fiction, sendo praticamente uma continuação, embora com atualizações e nova estética.

Peter Sellers, no filme Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb
A Wikipédia define o new weird como "um gênero literário que começou na década de 1990 e se desenvolveu em uma série de romances e histórias publicadas de 2001 a 2005. Os escritores envolvidos são na sua maioria romancistas que são considerados integrantes do horror e/ou gêneros de ficção especulativa, mas que muitas vezes cruzam fronteiras de gênero. Autores notáveis incluem China Miéville, Jeff VanderMeer, K. J. Bishop e Steph Swainston". 

"Obras que têm sido citadas como influências ao new weird incluem as histórias de H. P. Lovecraft, a novela Gormenghast de Mervyn Peake e a série Viriconium de M. John Harrison."

"De acordo com Jeff VanderMeer e Ann VanderMeer, em sua introdução à antologia The New Weird, o gênero é 'um tipo de ficção urbana do mundo secundário que subverte as ideias romantizadas sobre o lugar encontradas na fantasia tradicional'", tendo como ponto de partida modelos de mundos realistas, combinando "elementos de ficção científica e fantasia". Por sua vez, "Robin Anne Reid observa que quando a definição do new weird é contestada, 'um consenso geral usa o termo' para descrever ficções que 'subvertem clichês do fantástico, a fim de colocá-los a desconcertar, ao invés de consolar os fins'. Reid também observa que o gênero tende a quebrar as barreiras entre fantasia, ficção científica e horror sobrenatural."

"Ao comparar o new weird com a bizarro fiction, Rose O'Keefe, da Eraserhead Press, afirma que 'as pessoas compram new weird porque querem uma ficção especulativa de vanguarda com uma inclinação literária. É como uma espécie de slipstream com um lado de estranheza'."

"Parte das raízes deste gênero derivam de autores de horror pulp, cujas histórias foram às vezes descritas como 'ficção estranha'. O rótulo de 'conto estranho' também evoluiu a partir da revista Weird Tales; as histórias nele muitas vezes combinavam elementos de fantasia, terror existencial e físico, além de ficção científica."

Atualmente, o escritor mais expressivo do gênero é China Miéville.


0 comentários:

Postar um comentário