Adeus, Ariane!


Há alguns meses, informei que os projetos Mundos em Conflito e A Senhora da Espada Vitoriosa seriam engavetados e parte de seus plots reaproveitados em outras histórias.

E eu preciso me despedir de Ariane, o primeiro romance, escrito em 2007, entre junho e setembro, quando os sonhos eram doces e a poesia, agradável. Mais de uma década separa o jovem que escreveu a história da filha de Eros e Psiquê e o homem que já não consegue mais olhar para ela.

Então, é isso.

Quem teve a chance de ler este livro, leu. Quem nunca leu, bem, talvez ache alguma versão perdida por aí.