[Trecho] Nota introdutória de "Danação", segundo volume de "Mundos em Conflito"

Recentemente, abandonei o projeto Mundos em Conflito e informei que uniria alguns eventos apresentados em Colisão a novos, criando, assim, um segundo romance da série A Guerra dos Criativos.

E me deparei, hoje, com o arquivo contendo quase 17 mil palavras do que estava sendo a primeira versão de Danação, que exploraria bastante elementos do Lordeverso. Pensando seriamente, resolvi incluir parte dos eventos desse volume no futuro Lordes de Névoa, mas também gostaria de apresentar, sem edições e revisão, o que já tinha escrito para quem se sente órfão da série.

Como tradição, começamos com uma nota introdutória, um tipo de ponte entre um volume e outro.

Tome of Shadows - Dirge by ianllanas
Uma das lembranças mais antigas que tenho, e que me marcou profundamente, é um sonho; talvez seja uma ilusão de minha mente confusa, uma distorção de algum evento que o tempo se encarregou de apagar. Mas, em meu mais íntimo recanto de espírito, eu sei que aconteceu.
Recordo de andar por pilastras antigas e estranhas, iluminadas por um fogo de tons entre o alaranjado e o avermelhado, contudo de aspecto tão sinistro que apenas a certeza daquela chama circundar o local já era o suficiente para me aterrorizar. Havia uma presença, uma entidade que representava o mal, o caos, a desgraça, a dor, o pesadelo puro e cru, toda a concentração de desprezo pela vida. E aquela coisa me queria como um demônio quer uma alma.
Até o mundo acabar naquele dia 21 de dezembro de 2012 e ver o Lorde Branco, ainda que em forma espectral, não havia feito a conexão entre o que sonhei quando tinha poucos anos de vida e o que estava vivendo aos vinte e um. Desde moleque, agora eu sabia, meu destino estava ligado ao daquela criatura que transcendeu qualquer limite que existia entre a vida e a morte, o real e o imaginário, o terreno e o profano. Éramos polos opostos que deveriam se confrontar até que restasse apenas um; duas partes oriundas de um mesmo ponto, mas distantes ainda assim.
Ele era uma forma de luz e fogo, senhor de um poder além de qualquer outro que minha imaginação era capaz de deduzir. Eu era apenas um garoto que viria a se tornar uma forma de sombras e vazio sem fim.
E assim iniciei minha jornada para me tornar o Lorde Negro...