"A zoomagista" e pequenos avanços em "Rube 2"

There are no strange creatures by kawacy
Há alguns dias, mostrei para minha atual editora as páginas iniciais da novela que compõe a segunda parte da trilogia infantil de Rube. Seu comentário, após olhar o título, foi exatamente este:

"Isso não é meio Animais Fantásticos e Onde Habitam?"


Um comentário bem animador (sarcasmo puro meu), uma vez que eu estou rodeado de pesquisas sobre bestiários, animais fabulosos e monstros folclóricos e mitológicos, buscando extrair, de cada livro e revista, algumas criaturas que estarão presentes na segunda grande aventura da filhota.

Eu olho para muita gente achando que foi ideia da Rowling escrever histórias sobre biólogos de criaturas míticas.

E não, não pretendo copiar Animais Fantásticos e Onde Habitam e tampouco acho que preciso copiar aquilo.

Até porque eu possuo inspirações muito melhores em minha biblioteca.

Mas é engraçado que dias após essa pergunta sobre o título (e que vai acontecer muito, tenho certeza), neste domingo, acabo de saber que um conto meu, A zoomagista, foi selecionado para uma antologia cujo tema é a mitologia grega.

É justamente meu desejo de testar uma profissão raríssima no meio mágico, um elemento que foi inspirado nos antigos estudiosos que escreveram bestiários, que me fez escrever a história de uma maga que se dedicou a estudar animais fabulosos e monstros míticos ao redor do mundo.

Foi uma forma de pôr à prova se minha ideia me afastaria ou me deixaria mais próximo do Newt Scamander, pois em Rube 2 (título provisório) será uma zoomagista que apresentará a maioria das criaturas que Rube encontrará em sua nova aventura.

Acho que consegui me afastar um pouco do bruxo Newt e me aproximar do naturalista Plínio, o Velho.

Sobre o conto A zoomagista: trata-se de um relato bem simples e objetivo sobre o que é um zoomagista, o que faz, como faz e como a mãe do narrador, que é esse tipo de maga, lidou com o caso de um fauno e uma ninfa de água doce, presa num lago envenenado.

A mesma editora que, acima, perguntou sobre as similaridades dos títulos e, talvez, das propostas, ajudou-me a melhorar e deixar o conto com mais recheio. Seria um sinal de que acertei o tom e consegui meu intento de contar minha história sem ler ou ouvir um fã chato me perguntar se quero copiar sua autora favorita?

0 comentários:

Postar um comentário