"Contos de fadas são mais que verdade; não porque nos dizem que dragões existem, mas porque eles nos dizem que dragões podem ser derrotados." G. K. Chesterton

Sertãopunk NÃO É fantasismo


Recentemente, deparei-me com um artigo que relacionava o sertãopunk ao movimento literário chamado fantasismo. Isso me deixou bastante incomodado, pois em momento algum, tanto a Gabriele quanto o Alan ou eu, falamos nada sobre sermos adeptos ao fantasismo. Na verdade, ninguém do trio gosta ou aprova o movimento.

Enquanto o sertãopunk se baseia em pesquisas e experiências compartilhadas, visando um alcance mais popular em suas narrativas, vejo o fantasismo como algo incoerente, nonsense e irresponsável, sem qualquer característica sólida, tendo como base o apelo comercial de suas obras.

Não consigo compactuar com algo que não tem sequer estrutura para as bases leitoras, que não segue a realidade em que deveria estar inserida. Seria como construir uma casa em terreno arenoso.

Então, meus caros, não, o sertãopunk não quer nem prosa com o fantasismo.