Lordeverso: o conceito de "artemagia"

Anteriormente, apresentei de forma breve alguns termos e conceitos que compõem o Lordeverso, o Universo literário que a maioria de minhas histórias faz parte. Antes de detalhar acerca de diversos pontos, gostaria de falar um pouco sobre artemagia, elemento presente em inúmeras tramas, sob os mais variados nomes.

Autoria desconhecida

O termo surgiu em 2010, na série de novelas de fantasia A Fábula Inacabada. Na época, tratava-se de uma força presente desde o nascimento, possuindo quase as mesmas características que a magia, exceto por ser mais poderosa e jamais ser aprendida ou adquirida por quaisquer meios que não sejam os de herança genética. Ou seja, ou se nasce com artemagia ou não tem.

Como expliquei, oficialmente, magia é inexistente em quaisquer mundos dos universos criados. Tudo é possível ou não graças a uma força cósmica antiga, que quebra barreiras espaço-temporais e molda realidades, a artemagia. Embora apareça em diversas obras na nomenclatura original, é comum ser confundida com magia, pois há uma forte crença que ela pode ser aprendida, quando, na verdade, é descoberta em maior grau e desenvolvida. Noutras palavras, toda criatura ou planeta possui artemagia fluindo, mas apenas alguns em maior quantidade e são estes que a aprimoram a ponto de usá-la a bel-prazer. Nascem aí os artemagos.

Artemagia é a junção de ars (arte, habilidade) e mageia (sábio), portanto pode ser interpretada como uma habilidade que requer sabedoria para ser usada. Mas um termo é uma teoria e sua execução é outra. Em várias histórias, como a apresentada em O Cubo das Eras, é comum a raça humana fazer uso indevido da artemagia, seja mesclando à tecnologia e criando armas para colonizar planetas inteiros ou matar o Criador (não confundam com Deus); ou apenas exterminar cada ameaça à aparente normalidade do mundo, como ocorre na trilogia Camile e os Deuses de Mil Credos, uma série literária que aprofundo o conhecimento acerca de como a artemagia é a energia que criou os chamados monstros, heróis e magos das antigas lendas, além de revelar outro nome muito comum: vril, embora haja suspeitas que ambos os elementos sejam diferentes em alguns aspectos.

Em termos gerais, chama-se artemago qualquer criatura que consiga manipular satisfatoriamente a artemagia. Ou que possui a força cósmica latente. Criaturas metamorfas, praticantes da suposta magia, guerreiros que multiplicam sua força em combate ou jovens que mentalizam e materializam objetos animados ou não são artemagos. Em alguns mundos ou realidades, contudo, ocorre a separação de grupos: um artemago passa a ser só quem estuda e manipula a artemagia tal como um feiticeiro das histórias antigas, enquanto os demais podem ser metamorfos, vampiros (que são intermediários), etc. Há quem considere os artemagos capazes de criar coisas seres especiais, ora chamados de Criativos, ora de paracósmicos.

Quando o uso indevido de artemagia gera problemas no equilíbrio de um mundo, universo ou todo o cosmo, surge a necessidade de uma entidade conhecida como Iconoclasta surgir e resgatar a harmonia. Geralmente são seres fadados a uma vida solitária, pois nunca há um Iconoclasta igual ao outro. Como não obedecem a qualquer hierarquia, são livres para transitar entre os mundos e universos ou até mesmo planos. Não há regras explícitas sobre como surgem nem se podem se voltar contra a Ordem.

Então, em termos gerais, a artemagia é uma força peculiar, que varia de um universo a outro, mas estpa presente em tudo. Ela pode ser a regente das leis físicas ou a causadora de sua quebra. Cria e destrói barreiras. E quem consegue concentrar e manipular a energia presente no corpo é conhecido como artemago.

0 comentários:

Postar um comentário