Gêneros Literários #29: Gaslamp Fantasy/Gaslight Fantasy

Aneriormente, ao apresentar o dreampunk, fechei a postagem com menção a um gênero que, segundo algumas discussões em fóruns, possuía relações com o gênero cuja principal fonte de inspiração são os sonhos e toda sua carga emocional e simbólica.

Hoje, vamos descobrir se existem tais similaridades.

(Lembrando que todo artigo usado aqui, assim como as ilustrações, quando possível, possui link para a fonte, no idioma original.)

Autoria desconhecida
Também conhecido como romance gaslight (gaslight romance, no original), segundo a Wikipédia, "é um subgênero de fantasia e ficção histórica. De um modo geral, esse reino particular da fantasia emprega um ambiente vitoriano ou eduardiano. O gênero não deve ser confundido com o steampunk, que geralmente tem mais uma borda super-científica e um tom ucrônico. A gaslamp fantasy também difere da fantasia clássica vitoriana/eduardiana ou pura fantasia no estilo de Tolkien ou de Lewis Carroll ou de romances policiais históricos no estilo de Anne Perry ou June Thomson pelos elementos, temas e assuntos sobrenaturais que ele apresenta. Muitos de seus tropos, temas e personagens das ações derivam da literatura gótica — um gênero de longa data composto de traços românticos e horríveis e motivado pelo desejo de despertar medo, apreensão e outras emoções intensas no leitor — e pode ser descrito como uma tentativa de modernizar o goticismo literário".

"O termo gaslamp fantasy foi cunhado pela primeira vez em 26 de abril de 2006, pela artista Kaja Foglio para diferenciar sua história em quadrinhos, Girl Genius, da ficção convencional steampunk.

"'Eu chamei isso de gaslamp fantasy porque, na época em que estávamos trazendo Girl Genius, havia uma história em quadrinhos chamada Steampunk nas prateleiras e eu não queria nenhuma confusão. Além disso, eu nunca gostei muito do termo steampunk para o nosso trabalho, ele é derivado do cyberpunk (um termo que eu acho que se encaixa bem no gênero), mas não temos punk, e temos mais do que apenas vapor, e usando um nome diferente parecia apropriado. Eu me lembrei mal de um termo que eu havia encontrado no prefácio de um livro de H. Rider Haggard, onde o autor estava falando sobre Jules Verne, H. G. Wells, Rider Haggard e esse tipo de material de aventura pré-pulp, e veio com "Gaslamp Fantasy". Eu me senti um pouco tola quando descobri que tinha feito meu próprio mandato, mas funciona e eu gosto disso.' - Kaja Foglio, autora de Girl Genius.

"Girl Genius, apesar de ficção científica ambientada na Europa do século XIX, não tem uma ênfase firme na fantástica tecnologia da Revolução Industrial. Elementos de outros tipos de ficção são apresentados, incluindo criaturas mágicas e míticas, e o elemento científico é menos proeminente. Também inclui steampunk, assume elementos de biologia sci-fi contemporânea, como cyborgs de relógio, criaturas do tipo Frankenstein produzidas em massa e outros monstros.

"Geralmente, o termo refere-se à ficção baseada em um ambiente de estilo vitoriano, semelhante ao steampunk, mas com uma ênfase mais ampla. As histórias geralmente não são tão focadas no maquinário do período (ou, muitas vezes, em qualquer máquina), tomam mais liberdades com o período de tempo real e podem conter elementos de outros gêneros."

No TV Tropes, são mencionadas algumas obras que se encaixam no gênero: os filmes O Castelo Animado, Stardust (baseado no livro homônimo, de Neil Gaiman) e Van Helsing; e a série de livros Fronteiras do Universo, de Philip Pullman.

Enfim, não há muitas similaridades com o dreampunk, exceto que ambos os gêneros se inspiram numa Inglaterra mais fantástica, onde tecnologia e magia costumam andar lado a lado.

0 comentários:

Postar um comentário