"Contos de fadas são mais que verdade; não porque nos dizem que dragões existem, mas porque eles nos dizem que dragões podem ser derrotados." G. K. Chesterton

PseudoCrítica #9: Coisas que fãs de dinossauros deveriam assistir

Quem acompanha o blog e já percorreu as mais de mil postagens (até o momento), com certeza, já deve ter reparado que eu adoro dinossauros, não é mesmo?

DVA 01 Pg-04-05 Final by Nisachar
Se você, assim como eu, ama dinossauros, já deve ter visto um monte de filmes, séries e desenhos animados com essas criaturas fascinantes. Não é de se admirar que tenha esbarrado em clássicos mundialmente conhecidos (a franquia Jurassic Park, por exemplo) e encontrado películas de gosto bastante questionável (a franquia Carnosaur, que é composta de três filmes deveras trash).

Mas, se você quer novidades e explorar diferentes histórias, deixe-me sugerir algumas obras que valem (ao menos um pouco de) seu tempo.

PRIMAL2019

Primal, série animada com uma temporada apenas até o momento, é de encher os olhos de qualquer um. Criado e dirigido por Genndy Tartakovsky, que possui um extenso currículo com animações de vários tipos, o show bebe de puta literatura pulp (em especial a de Robert E. Howard, criador de Conan), mesclando um mundo anacrônico, onde dinossauros e homens coexistem com homens-macacos e animais gigantes, com um toque de magia primitiva e brutal. Com apenas 5 episódios, de mais ou menos vinte minutos, é uma boa pedida para os adultos apaixonados por aventura, violência gráfica e uma bela amizade improvável.


PRIMEVAL (Invasores Primitivos), 2011 - 2016

Ainda no campo das séries, esta é um pouco maior, com cinco temporadas e 36 episódios. Infelizmente, acabou cancelada, deixando muitas perguntas sem respostas e diversos personagens perdidos nas lacunas do tempo. Mas, enquanto a série britânica durou, trouxe dezenas de dinossauros, animais pré-históricos e do futuro para as ruas da Londres do século XXI, com efeitos especiais bastante convincentes e bastante variedade de espécies. Apesar de ter sido cancelada sem um final adequado, é uma série que vale muito a pena ser conferida. Há uma spin-off, canadense, que ainda não vi, mas pretendo.


THE LOST WORLD (O Mundo Perdido), 1999 - 2002

Esta é meu xodó. Eu era fissurado nela, tentava não perder um episódio e devo ter assistido, de maneira irregular, praticamente todos os 66 episódios + piloto + filme para televisão disso. Infelizmente, também foi cancelada sem uma conclusão (o projeto era ter cinco temporadas, mas pararam na terceira, por falta de verba), mas ainda assim é bastante divertida, com viagens no tempo, civilizações perdidas (inclusive de homens-lagartos), dinossauros (pouca variedade, por sinal), homens-macacos, ficção científica, magia, lendas europeias, referências históricas... Uma salada de sabores! Para quem tiver interesse, o livro homônimo, escrito por Sir Arthur Conan Doyle, também criador do famosíssimo Sherlock Holmes.


WALKING WITH DINOSAURS (Caminhando com Dinossauros - O filme), 2013

Deixando um pouco de lado a temática mais adulta, este filme animado é bem legal. Derivado de um documentário com o mesmo nome, trata-se de uma aventura pre-histórica feita em computação gráfica que mescla ficção e um tom documental, numa dose bastante satisfatória para adultos e crianças (principalmente; meus sobrinhos adoram este filme). Eu considero bem superior ao filme da Disney, Dinossauro, que não irei incluir nesta lista, mas fica a dica também.


THE VELOCIPASTOR (O VelociPastor), 2018/2019

Agora, se você não quer animação caprichada e violento, séries canceladas sobre mundos perdidos e brechas temporais e muito menos filme bonitinho com dinossauros coloridos, que tal algo bem trash e tão ridículo que é digno de culto? VelociPastor é a pedida! Nem vou falar muito, mas fica aí a dica. É um baita filme!


Como usar travessão no Microsoft Word

"Alec, por favor, faz uma postagem sobre travessões serem diferentes de meia-risca e de símbolos... e de equações!", pediu-me uma amiga e colega de escrita.

Olha, se alguém se diz escritor e não sabe a diferença dessas coisas, acho que deveria repensar um pouco os compromissos com a escrita.


Dito isso, hoje vamos aprender a usar corretamente travessão no Microsoft Word, seja lá qual for a versão.

Basta seguir as orientações das imagens a seguir:

1.


2.


3.

Este é um caminho mais rápido, mas preste atenção, hein?
Atente-se ao nome Unicode do símbolo!
Outro caminho é este. Acho mais seguro, além de permitir conhecer melhor as sutis diferenças dos símbolos.

4.

Por fim, salve tudo, feche as janelinhas abertas e está tudo pronto. Toda vez que digitar -- o programa vai substituir pelo —.

54 contos num ano: Um conto por semana 2.0

Em 2017, eu havia dado início a um projeto simples: escrever, por um ano, um conto toda semana. Cheguei a cumprir um mês de desafio, embora só tenha registrado três semanas inteiras. Com o decorrer do tempo, outras coisa surgiram e o projeto foi paralisado.

Mas, como estamos numa época de quarentena, resolvi voltar e tentar cumprir as 54 semanas e 54 contos.


O desafio é fácil: de domingo a sábado, escrever um conto completo, de qualquer tamanho, livre de tema e de gênero literário. Pode ser uma meta diária de 100 a 1000 palavras, por exemplo. Pode-se acabar o conto antes do prazo. Importante é escrever uma história semanalmente.

Ao final de um ano, contabilizar e classificar tudo.

Simples, náo é?

Criei uma planilha para manter tudo controlado, assim tentarei não perder prazos e preservarei um registro do progresso. O modelo segue abaixo, caso alguém queira copiar ou adaptar.