"Contos de fadas são mais que verdade; não porque nos dizem que dragões existem, mas porque eles nos dizem que dragões podem ser derrotados." G. K. Chesterton


Como escrever e editar sem depender do Microsoft Word (e do Google Docs)

A maioria dos escritores usa Microsoft Word como principal ferramenta para escrita e edição de textos, mas quem nunca teve seu material perdido seja porque o arquivo se corrompeu, o programa inexplicavelmente travou e não salvou o progresso? E quando a chave de registro falha e o programa não quer mais funcionar corretamente, tirando muito do tempo que poderia ser usado no ofício de escrever?

Pensando nisso, e por já ter passado por vários desses problemas, que eu gostaria de sugerir alguns programas alternativos para quem está cansado de depender só do Microsoft Word. Lembrando que esta postagem é focada em usuários do Windows, hein?



Começando com o Atlantis, um programa super leve, que pode ser instalado até em pendrives. Não o usei muito, mas ele já me quebrou um galho quando eu fiquei com um notebook bastante velho e que mal funcionava. Atualmente sua interface lembra pouco a do Word, mas suas funções, mesmo com o pouco espaço que ocupa, são similares. Abre e salva arquivos nas extensões .doc e .docx, além de salvar e converter arquivos em outros formatos, como o .epub, ou seja, bacana pra quem edita e-books pra Amazon.

A única grande desvantagem do Atlantis é a necessidade de uma chave de registro, mas é algo facilmente encontrado em sites, geralmente junto com o programa.



Um programa livre bem robusto, o FreeOffice é ideal para usuários mais avançados. É relativamente leve, sem complicações para instalar. Abre e salva em vários formatos, tanto .doc quanto .odt, o formato padrão dos arquivos do LibreOffice. Além disso, exporta para .epub e .pdf, a interface lembra a do Word/LibreOffice. No pacote, tem o TextMaker que substitui o Word (para escrita) e mais dois alternativos ao Excel e PowerPoint.

As desvantagens são mínimas, mas nada que um escritor atento não consiga contornar.



Por fim, o meu principal programa de escrita e edição, o LibreOffice, mais especificamente o Writer. Uma máquina que substitui e vai além do Word, com diversos formatos de arquivos para abrir e salvar, além de exportação em outros formatos. Tem dicionário integrado, o revisor pega pleonasmos, gerúndios, aponta erros de digitação... Depois que você domina as ferramentas deste programa livre, dificilmente vai querer voltar ao Word.

Dos que indico, é um pouco mais pesado, mas funcional, com aplicativos que substituem Excel e PowerPoint. Outra desvantagem é a ausência de um dicionário de sinônimos e antônimos, mas é um preço pequeno para outras funcionalidades que o programa oferece.

***

Lembrando que todos esses programas podem ser encontrados na rede, inclusive os de acesso livre possuem sites próprios para download, com atualizações frequentes, para aprimorar a experiência, além de manual de usuário.